Sub-Sé fecha bueiros clandestinos no Cambuci

Sub-Sé faz operação de fechamento de bueiros clandestinos

Sub-sé

Sub-Sé intensificou a fiscalização de ligações clandestinas nas redes de águas pluviais, através das bocas de lobo e poços de visita da área central. Neste mês, Remy Silva, coordenador de Projetos e Obras da Sub-Sé, explicou que nos últimos meses foram vistoriados 300 locais e 75 deles receberam multas.

Os proprietários dos imóveis foram multados pelo lançamento irregular de águas servidas no sistema de drenagem. Em desrespeito às disposições técnicas da lei municipal n° 16.642, de 9 de maio de 2017 e n° 57.776, de 7 de julho de 2017. O valor da multa é de R$ 549,22. Após o prazo legal para os proprietários dos imóveis se regularizarem juntamente com a Sabesp, foram identificados locais que continuavam desrespeitando às leis e jogando dejetos nos bueiros.

Então, uma grande operação da Subprefeitura Sé com a Guarda Civil Metropolitana (GCM) foi montada para o fechamento dessas ligações clandestinas, chamadas de tamponamentos. Esse despejo de água servida ou esgoto diretamente nas bocas de lobo contribui para a contaminação de córregos e rios da Cidade, além do desagradável mau cheiro.

A operação

Durante a operação foram fechadas ligações clandestinas em 11 bueiros. De acordo com o encarregado das equipes de galeria, Donizete Rocha, “a água pluvial deve ser despejada na sarjeta e nunca nos bueiros. Estes servem para receber as águas pluviais que chegam pela sarjeta e que depois vão para as galerias. Portanto as águas pluviais servidas e esgoto sanitário devem ser lançados obrigatoriamente nas redes de esgoto da Sabesp”. Para ele, a ligação clandestina é um dos principais fatores para o alagamento de ruas.

Assim, os bueiros tamponeados na região são nas ruas: Alexandre Levi, Piquerobi, Nicolau Âncona Lopes, dos Pescadores, Freire da Silva, Largo do Cambuci e Praça Alberto Lion. Além de serem penalizados os responsáveis serão cobrados pelos custos dos serviços municipais prestados na operação.

A atuação da equipe de fiscalização é rotineira assim como a inspeção e limpeza de bocas de lobos, poços de visitas e galerias. Os locais identificados com tais ligações, os responsáveis serão notificados e podem ser punidos com multas. Entretanto, para a eficácia deste trabalho faz-se necessária a cooperação da população local para que denuncie qualquer irregularidade.

“Vamos continuar trabalhando para evitar estes problemas e prestar um serviço de qualidade para a população, e também vamos fiscalizar e multar aqueles que estão em situação irregular prejudicando o meio ambiente, o próprio bairro e a nossa Cidade”, finaliza o subprefeito da Sé, Roberto Arantes.

Deixe seu comentário :D

%d blogueiros gostam disto: