Entenda a corrida eleitoral pela Prefeitura 2020

Entenda a corrida eleitoral pela Prefeitura 2020

Entenda a corrida eleitoral pela Prefeitura 2020
Foto: Marcelo Brandt/G1

Entenda a corrida eleitoral pela Prefeitura 2020. As eleições municipais acontecem dias 15 e 29 de novembro, primeiro e segundo turno respectivamente.

Celso Russomanno lidera as pesquisas de intenção de votos, seguido por Bruno Covas, Guilherme Boulos e Márcio França. O candidato petista Jilmar Tatto está na 5ª posição.

Saiba quem são os principais candidatos e suas propostas:

Chapa Bruno Covas e Ricardo Nunes (coligação PSDB)

Covas é formado em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e em economia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Foi secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo de 2011 a 2014, deputado federal por São Paulo de 2015 a 2017 e vice-prefeito de São Paulo. Tornou-se o 53º Prefeito de São Paulo em 2017, quando João Dória deixou a Prefeitura para concorrer para governador em 2018. 

O plano de governo de Covas tem como lema “levar a cidade de São Paulo a um novo patamar de desenvolvimento social, econômico e urbano”. Defende a participação da população no desenvolvimento da cidade, menos polarização, a ética e a incorporação da dimensão ambiental em todas as áreas da gestão pública. A proposta também visa lançar programas voltados para o desenvolvimento e saúde infantil, além de diminuir o peso do Estado e promover privatizações.

Chapa Celso Russomanno e Marcos Costa (coligação Republicanos)

Russomanno é bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Guarulhos. Foi deputado federal por São Paulo de 1995 a 2011 e de 2015 até a atualidade.

O plano de governo para a prefeitura abrange a reestruturação dos centros de acolhida para pessoas em situação de rua, a criação da “casa do jovem” para realizar o acompanhamento de adolescentes em situação de vulnerabilidade, um programa para oferecer atividades esportivas nas escolas durante as férias escolares, a ampliação das faixas exclusivas de ônibus e um projeto para proteger idosos de maus-tratos. O candidato também promete incentivar a área da cultura, fazendo com que escolas municipais tenham espaços culturais e tornando a cidade de São Paulo o “centro de produção do Audiovisual”.

Chapa Guilherme Boulos e Luiza Erundina (coligação PSOL)

Boulos é graduado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), e especializou-se em Psicologia Clínica pela PUC-SP. É mestre em psiquiatria, pela Faculdade de Medicina da USP. 

Também faz parte do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) desde 2002 e foi professor da rede pública de ensino, da Faculdade de Mauá e da Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

A proposta de governo do PSOL visa a melhoria dos serviços prestados pela Prefeitura à partir da valorização do funcionalismo público municipal. O plano busca uma retomada econômica após a pandemia com ações na saúde, geração de emprego, renda, moradia e cidadania. Combate ao racismo é uma bandeira da campanha, além de uma reforma tributária, baseada na proporcionalidade e na progressividade da cobrança de impostos, com elevação da alíquota de ISS para instituições financeiras e aumento do valor da tarifa do IPTU para mansões.

Chapa Jilmar Tatto e Carlos Zarattini (coligação PT)

Tatto é graduado em História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Moema. Atualmente, cursa o doutorado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e possui título de Mestre em Ciências pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). 

Foi deputado estadual de São Paulo de 1999 a 2003, secretário municipal de Transportes de São Paulo, deputado federal por São Paulo de 2007 a 2015. Atualmente, é secretário nacional de comunicação do PT.

O programa para a Prefeitura mira eixos de solidariedade e justiça social, desenvolvimento econômico, gestão participativa e incentivo ao conhecimento e à cultura. Suas propostas incluem a “implantação gradual da tarifa gratuita nos ônibus” e a “construção de habitações populares”.

Chapa Márcio França e Antônio Neto (coligação PSB)

França é formado em Direito pela Universidade Católica de Santos (1982-1986). Durante a graduação chegou a atuar como presidente do diretório acadêmico. Foi também oficial de justiça de São Paulo. O político tem pós-graduação em Direito Administrativo e Constitucional.

Foi 42º prefeito de São Vicente no período de 1997 a 2005. Antes de se tornar prefeito, Márcio França foi vereador de São Vicente por 8 anos. Também foi Deputado Federal por São Paulo de 2007 a 2011, secretário estadual de Esporte, Lazer e Turismo de São Paulo de 2011 a 2015 e secretário estadual de Desenvolvimento de São Paulo de 2015 a 2018, além de 26º Vice-governador de São Paulo. se tornou o 36º Governador de São Paulo em 2018, quando Geraldo Alckmin deixou o posto para concorrer à presidência.

A proposta de França para Prefeitura de São Paulo está voltada para retomada da economia pós-pandemia: inserir jovens de 17 e 18 anos em empregos nas secretarias e órgãos da Prefeitura e aumentar o efetivo da Guarda Civil Metropolitana (GCM), investindo na Segurança Pública.

 

Da Redação

One thought on “Entenda a corrida eleitoral pela Prefeitura 2020

Deixe seu comentário :D

%d blogueiros gostam disto: