Cambuci e um pouco de história

Cambuci e um pouco de história

Cambuci

Hoje, dia 19 de dezembro, o Bairro do Cambuci, hoje Distrito, comemora 114 anos desde sua formalização pela Prefeitura de São Paulo em 1906.

O nome Cambuci é devido ao grande número de árvores dessa fruta que existia por aqui. Hoje podemos encontrar alguns exemplares como a que está no Largo. É considerado um dos bairros mais tradicionais e importantes da cidade pela sua história e localização.

O Cambuci foi entrada do município de São Paulo para quem subia a serra e passava pelo Córrego do Lavapés, local onde se lavava os pés e se descansava por algum tempo, dando comida e água aos animais de carga.

A partir de 1850, formou-se um pequeno núcleo de chácaras e algum comércio em torno da trilha, culminando com a construção da capela de Nossa Senhora de Lourdes em 1870, réplica da original francesa, hoje pegada à atual Igreja da Glória. Nos anos 1880, a cidade passava por uma fase de intenso crescimento e novas ruas ligavam os bairros da Liberdade, Glória ao Cambuci, como a Rua Luís Gama, que, inaugurada em 1882, ligava a Mooca ao Cambuci.

Nas primeiras décadas do século XX, o Cambuci serviu de moradia aos imigrantes, especialmente italianos, que trabalhavam como operários nas fábricas da região, e foi um dos berços do anarquismo e das greves. Na Revolta Paulista de 1924, a igreja foi ocupada pelas forças rebeldes, lideradas pelo general Isidoro Dias Lopes, que tentavam derrubar o presidente Arthur Bernardes.

A igreja foi ponto estratégico por situar-se num lugar alto, de onde era possível ver o movimento das tropas na cidade. O Cambuci foi um dos bairros mais afetados pelos combates: as forças legalistas destruíram a torre de ardósia, avariaram o altar e deixaram perfurações nas paredes.

Ao longo dos anos várias indústrias se instalaram no Bairro. Imigrantes Italianos, espanhóis, portugueses, árabes vieram morar por aqui. Esses estrangeiros, principalmente os italianos e espanhóis trouxeram a experiência de luta dos trabalhadores. Anarquistas, socialistas e comunistas se organizaram em sindicatos para exigir dos patrões melhores salários e condições de trabalho. As primeiras greves da cidade ocorreram aqui.

Até início dos anos 80 do século passado o Cambuci tinha o maior parque gráfico da América Latina. Gerava milhares de empregos e participou ativamente do desenvolvimento da cidade.

No campo das artes, famosos nasceram ou viveram por aqui. Nair Belo, Alfredo Volpi, Arcanjo Ianelli, Arrelia, Demônios da Garoa, Paulo Vanzolin foram personagens que contribuíram para nossa cultura. Tivemos o Cine Cambuci na Rua Clímaco Barbosa, Cine Guarani no Largo do Cambuci, Cine Riviera na Lins de Vasconcelos.

A origem do Grafite se deu por aqui. Os Gêmeos, conhecidos mundialmente, têm o maior orgulho de afirmarem que nasceram e vivem no Bairro. Na política alguns personagens podem ser lembrados. O mais ilustre foi o Presidente Jânio Quadros. Delfin Neto e Alex Freua Neto também viveram por aqui. Jânio, inclusive foi professor de Delfin Neto no antigo Colégio Siqueira Campos.

Com a decadência das indústrias e gráficas o Bairro sofreu uma transformação. Hoje é uma região de forte comércio e se notabiliza pela prestação de serviço.

Durante décadas foi palco de memoráveis partidas de futebol. A várzea do Glicério reunia dezenas de equipes em seus campos. Quase toda a comunidade acompanhava os torneios. Tinha ali o Parque Xangai com sua enorme Roda Gigante.

O primeiro estádio da Gloriosa Portuguesa de Desportos, a Lusa, ficava na Rua Cesário Ramalho. Tivemos o Clube Anchieta na Lins de Vasconcelos esquina com a Rua Hermínio Lemos atrás do Instituto Aché. Durou alguns anos até ser desativado. Em 1974 foi construído o Balneário do Cambuci. No início dos anos 1980 aconteceu o primeiro desfile do Bloco da Ressaca que hoje é um dos mais tradicionais da cidade. Em novembro de 1981 circulou a 1ª edição do Jornal do Cambuci.

Nos últimos 20 anos o Cambuci sofreu muitas mudanças. A chegada de grandes construtoras, que adquiriram os galpões das antigas indústrias e gráficas, contribuiu para a verticalização das moradias e aumentou a população local. No censo do IBGE de 2000 moravam no bairro 28 mil pessoas. Estima-se que hoje esse número esteja perto dos 50 mil. Mais de 70% das habitações são apartamentos e a infraestrutura do Cambuci precisou ser melhorada rapidamente.

A localização geográfica na cidade é privilegiada. Fica a 2 km da Praça da Sé, 2 km da Avenida Paulista e 1 km da saída para o litoral. Tem um excelente corredor comercial com todo tipo de lojas, farmácias, supermercados, prestadores de serviço, restaurantes e lanchonetes. Tem uma ótima Unidade Básica De Saúde (UBS), boas escolas e fica ao lado do Parque da Aclimação, um dos mais lindos da cidade.

Morar no Cambuci é um privilégio e esse ano, por causa da pandemia, não haverá uma comemoração de rua. Parabéns ao Cambuci e a tudo que representa na cidade de São Paulo nesses 114 anos de história.

 

Roberto Casseb

Deixe seu comentário :D

%d blogueiros gostam disto: