Brasil tem vacina contra Covid-19

Brasil tem vacina contra Covid-19

País segue sem um governo federal de verdade

Vacina
Foto: Reuters

Graças aos trabalhadores e trabalhadoras do Instituto Butantan, que incansavelmente dedicam suas vidas à pesquisa e à ciência, o Brasil tem uma vacina contra Covid-19, aprovada para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no último domingo, dia 17 de janeiro.

Em uma jogada de marketing do governo paulista, visando promoção política do governador João Doria, a primeira pessoa vacinada no País é a enfermeira negra, Monica Calazans. 

A escolha pela profissional é simbólica e mais que merecida, entretanto, esconde que os governos tucanos sucateiam a ciência, institutos de pesquisa e as universidades públicas sempre que possível. 

Além de omitir que os principais afetados pelas políticas de austeridade sejam pretos, pobres e periféricos, a imensa maioria do País e principais afetados pelas medidas neoliberais e, sobretudo, por medidas neoliberais.

O Butantan é subordinado à Universidade de São Paulo (Usp), não fosse pela grande capacidade de pesquisa da instituição, o Brasil não teria vacina, afinal, não tem sequer um governo federal.

O presidente da república, Jair Bolsonaro, brinca com a vida das pessoas, mente de forma obsessiva e pensa apenas em proteger seus filhos em busca da reeleição em 2022. 

Ambos, Dória e Bolsonaro politizaram a pandemia. Ambos não se importam com o povo. Entretanto, por pressão ou oportunismo, um deles agiu e fez o que seria dever do governo federal.

Com o fim do primeiros lotes da CoronaVac e o recente fracasso diplomático da busca por vacinas na Índia, o Brasil volta à deriva, uma vez que, também, por problemas de relação, não consegue importar insumos, seringas e agulhas necessárias para o andamento do Plano Nacional de Vacinação (PNV), se é que existe um.

O  País que sempre foi reconhecido mundialmente por sua capacidade de vacinar rapidamente toda população, hoje sofre com o isolamento global que Bolsonaro escolheu. 

Segundo especialistas, o Brasil com seu PNV tem potencial para vacinar até 10 milhões de pessoas por dia. Isto é, 21 um dias, três semanas, são suficientes para aplicação da primeira dose da vacina em todo 210 milhões de brasileiros.

Infelizmente, não há governo e, principalmente, não há soberania. Ao saber disso, filhos de pessoas influentes, empresários e políticos, País afora, furam a fila, pois querem ir às baladas e já entenderam que não haverá vacina para todos enquanto Bolsonaro estiver no poder. Os mesmos que o ajudaram a ganhar a presidência.

O impeachment de Bolsonaro ganha força, são mais de 50 pedidos engavetados. Apenas o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, responsável pela abertura do processo, não entendeu que a cada dia que passa, mais vidas são ceifadas. 

Enquanto isso, Bolsonaro se esforça para se descolar da imagem de lobista da cloroquina que ele tanto vendeu e, ainda mais, diz que a vacina é do Brasil. Fosse por ele, o Brasil não teria vacina. O único chefe de Estado no mundo que não comemorou o início da vacinação em seu País. “Apesar da vacina”, diz ele em alusão à sua clara derrota para Dória nessa questão. 

O que acontece no País hoje explica bastante o motivo de, durante a corrida presidencial em 2018, Bolsonaro não ter apresentado seu plano de governo. O plano era matar, acabar com a diversidade, impetrar um projeto de poder autoritário, genocida e sanguinário. Todos sabiam disso, bastava ver suas declarações, não estava no papel mas estava verbalizado em cadeia nacional.

Apesar de você, Bolsonaro, o Brasil sobreviverá ao seu governo da morte. O País é diversificado, trabalhador, esforçado e vencerá seu projeto. Graças à força trabalhadora do povo brasileiro, hoje existe uma vacina. Quando todos estiverem vacinados, com a vida normal na rua, haverá impeachment. E após o afastamento do pior presidente da história do Brasil, o País terá paz.

 

Daniel Yazbek

Deixe seu comentário :D

%d blogueiros gostam disto: